Como trabalhar na Disney

Foto de Yasmin Graeml | Blog Qualquer Latitude
O Disney College Program, programa de intercâmbio e trabalho na Disney, sempre foi um sonho para mim. Descobri o programa em 2010, quando hospedamos uma intercambista americana que tinha trabalhado por lá. Ela me contou que todos os anos a Disney contratava jovens do mundo inteiro para trabalhar nos parques e que os principais pré-requisitos eram falar bem inglês e estar na faculdade! A ideia de ir trabalhar na Disney nunca mais saiu da cabeça. Os anos passaram e, finalmente, resolvi pesquisar mais sobre o processo e me inscrever para o trabalho dos sonhos na Disney!
Aqui no Brasil, quem organiza o processo de seleção dos candidatos é a agência de Intercâmbio STB. As inscrições abrem no começo do ano e depois todos os participantes têm que assistir a uma palestra e fazer duas entrevistas. 
Aqui neste post eu vou explicar como funciona o processo seletivo e vou contar mais sobre a experiência e dar dicas para quem vai tentar em 2018!
Quem pode participar
Para participar do Disney International Program (ICP), o participante tem que:
  • estar matriculado em um curso universitário de bacharelado (cursando entre o segundo e o último período)
  • falar inglês (não precisa ser fluente, mas tem que conseguir se comunicar bem)
  • ter mais de 18 anos
  • ter disponibilidade para viajar entre novembro e fevereiro e poder pagar os custos iniciais do programa
  • estar aberto para novas culturas e maneiras de viver.
Quais são as funções que se pode trabalhar

Neste programa, não escolhemos a função em que vamos trabalhar. A decisão é feita pela Disney dependendo do número de vagas disponíveis e da sua personalidade. Algumas funções de Cast Member (funcionários da Disney) podem entrar e sair da lista, dependendo do ano. Mas, em geral, as opções são:
  • Custodial: esta função é responsável pela limpeza dos parques e hotéis da Disney. Acredito que é a função para a qual há mais diferença de intenções, já que tem quem não queira cair de jeito nenhum e quem escolha como primeira opção!
  • Quick: são os cast members que trabalham com a comida nos parques, tanto nos restaurantes, quanto nos quiosques e carrinhos de alimentação. É uma das funções em que é mais fácil trabalhar horas extras. Correm boatos de que ganham comida no final de alguns expedientes (lembrando que, para todas as funções, o funcionário tem que pagar pela própria alimentação).
  • Merchan: esta função é responsável pelas lojas da Disney, ou seja, são os merchans que vendem e mantêm as lojas e o estoque organizado.
  • Character attendants: são os cast members que acompanham os personagens, organizam as filas e controlam o tempo em que os personagens vão estar disponíveis. Também são a voz dos personagens e respondem possíveis perguntas das crianças.
  • Character performers: estes cast members são “amigos de algum personagem” e sabem tanto sobre ele que podem representá-lo. Para esta função é preciso ter a altura certa, para poder usar a fantasia.
  • Attractions: são os responsáveis pelos brinquedos, os attractions organizam as filas, as paradas e garantem a segurança dos visitantes.
  • Costuming: esta é a função de quem trabalha no backstage, cuidando das fantasias. É o sonho de vários estudantes de moda.
Como funciona o processo seletivo para trabalho na Disney


No começo do ano, a STB abre as inscrições para a palestra e a primeira entrevista, que ocorre em várias cidades no Brasil. As cidades podem variar de ano para ano. Em 2017 foram São Paulo, Florianópolis, Brasília, Belo Horizonte e Fortaleza. Nesta primeira fase, todos os candidatos assistem a uma palestra que explica o programa: mostra todos os roles (funções em que você pode trabalhar na Disney), fala sobre os condomínios (durante o programa você fica morando em um dos quatro condomínios da Disney), as possíveis datas de embarque (são quatro datas diferentes e é feito um sorteio pela própria Disney), o salário e os custos iniciais do programa (passagem, visto, seguro saúde e acomodação). 

Antes desta palestra também é agendado um horário para a entrevista, podendo ser no mesmo dia ou alguns dias mais tarde. Eles fazem antes com quem não é do estado, depois da cidade e, por fim, com quem mora lá. Mas é recomendável ficar dois dias no local da palestra, para garantir que não vai ter problemas. A primeira entrevista aconteceu em junho. Ela já foi feita em inglês, mas por brasileiros que trabalham na Disney Division da STB. Nesta fase, as entrevistas foram em duplas ou trios. Você tinha que levar o seu currículo, em inglês, e as perguntas eram em torno da sua experiência de trabalho, de porquê você queria trabalhar na Disney, na sua preferência por um role, etc.

A primeira fase é “uma grande peneira”. Os resultados podem ser "aprovados", "reprovados" ou "standby" (em espera, podendo ser chamado, caso alguém desista ou abram mais vagas). Depois da primeira entrevista, para quem foi aprovado, vem a parte de colocar todos os documentos, currículo e uma carta de apresentação no sistema da Disney. Minha dica é: já crie uma senha com mais de 8 caracteres, com letras maiúsculas e minúsculas e caracteres especiais, pois a Disney trabalha com vários “sistemas” (tem o da STB, o de documentos, o dos apartamentos, do contrato e, chegando lá, o de ver seus shifts). Uma senha única para tudo que é da Disney vai facilitar sua vida!
É nesta parte que o candidato começa a sofrer com as famosas “ondas”. Os e-mails não são enviados todos de uma vez, ou seja, seu amigo pode já ter uma data para a segunda entrevista e você não. O mesmo acontece com os resultados, o que acaba aumentando a ansiedade de todos.
A segunda entrevista é feita somente em São Paulo e é com o pessoal da própria Disney. Desta vez, a entrevista é individual e o foco, normalmente, é na função que você vai trabalhar durante o intercâmbio! Nesta fase, os resultados são rápidos. Na semana seguinte já vem o tão sonhado e-mail de congratulations, para quem foi aprovado, a temida reprovação ou standby. Nesta fase, os standbys têm mais chance de serem chamados e, como um bônus, podem acabar sendo aprovados para a Disney da Califórnia!
Quanto custa este intercâmbio e quanto você vai ganhar para trabalhar?
Para participar da seleção não precisa pagar nada (para quem não é das cidades onde ocorrem as palestras, há o custo de deslocamento e hospedagem). Depois de aprovado, é preciso comprar a passagem (em torno de 2.000 reais), obter o visto e pagar a taxa servis (160 dólares + 35 dólares). As duas primeiras semanas de aluguel do condomínio precisam ser pagas adiantado, junto com as taxas de eventos (300 dólares). Você também vai gastar 35 reais para obter um documento de antecedentes criminais.
Independente da sua função na Disney, você vai receber um pagamento de 10 dólares por hora. O mínimo de trabalho é de 30 horas por semana (ou seja 300 dólares por semana) e é possível trabalhar horas extras. A maioria das pessoas junta dinheiro durante o programa para o GP (depois do tempo de trabalho o visto J1 dá direito a um mês de turista nos Estados Unidos) e a maioria dos cast members vai para Nova Iorque ou para a Califórnia (tem gente que até consegue ir para os dois). O quanto de dinheiro que você vai ganhar, se vai cobrir os gastos iniciais ou não depende de quanto você pretende trabalhar e gastar por lá.
De qualquer forma o trabalho na Disney é uma forma barata de fazer intercâmbio e melhorar o currículo afinal, não é todo mundo que trabalhou na Disney a maior empresa de entretenimento do mundo exemplo de comunicação, excelência, marketing e contentamento de clientes! Sem falar que ter um visto de trabalho americano escrito Walt Disney World no passaporte é uma super história para contar!

🌍🌍🌍
Esse texto é uma colaboração de Yasmin Graeml, e foi publicado originalmente em seu blog, Qualquer Latitude. Lá você pode conferir também mais detalhes sobre a experiência da Yasmin no lugar where the dreams come true!

Nenhum comentário:

Postar um comentário